Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Negócio de Fotodepilação > Xperto Depil

Seções
Você está aqui: Página Inicial Blog Gel ou não gel, eis a questão.

Gel ou não gel, eis a questão.

A segurança no tratamento de fotodepilação é um requisito fundamental, porém a eficácia também não pode faltar. O gel condutor está de que lado: da segurança ou da eficácia?
Está tendo os resultados esperados com o uso do gel?

Muitosequipamentos e fornecedores indicam que se use o gel para realizar osprocedimentos, porém há muitas controvérsias sobre o seu uso.

Uma coisacerta é que o uso do gel diminui consideravelmente o risco de queimadura, mas éimportante lembrar que sempre existe o risco. Ao mesmo tempo que protege umpouco mais, o gel também é uma barreira física à luz e isso pode afetar aeficácia do tratamento de fotodepilação (há outros tratamentos, como ofotorrejuvenescimento, que devem ser feitos obrigatoriamente com gel. Lembrandoque aqui estamos falando só de fotodepilação).

Se seuequipamento é um desses que usa o gel, facilmente você mesma pode comprovarisso. Por exemplo, fazendo a primeira sessão de axilas, uma com gel eoutra sem gel. Fizemos esse mesmo teste e realmente se nota a diferença deresultado. Claro que temos que considerar fases do pelo, mas nesse caso adiferença foi considerável.

Como jácomentamos em outro post, o resultado da fotodepilação depende, claro, doequipamento, mas um bom equipamento não traz resultado sem contar com a experiênciada profissional que a faz, conhecimento da biologia do pelo e outrascaracterísticas importantes. Digamos que a máquina não faz todo o trabalhosozinha. Observar como reage a pele e o pelo são fundamentais para saber se seutratamento está sendo eficaz ou não. E as sessões feitas com gel dificilmentete permitem ver como está reagindo o pelo e a pele. Digamos que seria comofazer uma sessão às escuras. Só saberá o resultado quando a cliente retornar.Sem o gel, ao momento é possível ver se sua sessão está sendo eficaz ou não.

A potênciapara o tratamento varia muito de pessoa pra pessoa e sempre é avaliada a cadasessão. No caso de sessões com gel, a potência costuma ser maior que a usadanormalmente sem gel, além disso o grossura da camada de gel também influencia.E, como não é possível ver ao momento a reação do pelo com o gel por cima dapele, uma vez mais a profissional “fica no escuro”, sem saber se a potência queestá usando é adequada ou não.

O gel paraser também anestesiante é importante que esteja sempre frio e com os disparosrapidamente esquenta. Então, para trabalhar com o gel, considere que iránecessitar uma estrutura extra de geladeira para ter sempre gel frio paratrabalhar.

Quanto àproteção: o gel sim protege, porém não é garantia. Quanto mais você aumentar apotencia, mais poderá ter resultado, mas também aumenta a probabilidade dequeimar sua cliente. Fazer sessão sem gel é mais arriscado, claro, por isso muitosfornecedores são radicais em indicar o uso dele. Porém, a experiência comprovaque sessões sem gel trazem mais resultados. E é possível fazer sem gel e semqueimaduras, e com resultados. Para isso é necessário ter mais cuidados, entenderbem a pele do cliente, conversar com o cliente para conhecer o que estásentindo.

Paraconhecer detalhes de como fazer a sessão com segurança conheça nossosmateriais:

Fotodepilação - Procedimento passo a passo (com dicas de profissionais experientes)

Queimaduras - como proceder